segunda-feira, 10 de junho de 2013

O conto e os balões de Gustavo Rios


O ponto de partida foi a capa do livro Três Infâncias, do Mayrant Gallo. Uma imagem que sempre me comoveu  um tipo de comoção silenciosa, um arrebatamento que eu nunca entendi. Dali surgiu a primeira possibilidade: dois irmãos, gêmeos; dois balões que, em algum momento, se separam. O resto foi trabalhar em algo real  o sentimento em relação à capa do livro –, mas que parecia não servir para nada. Levei semanas lutando. Como sempre de noite, exausto e sem os cigarros (a pior parte). E, apesar da vontade tardia de mudar muita coisa em meu texto, o resultado me agrada. 


Foto: Muhammed Muheisen (AP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário